Banco Rendimento

FOLHA DE SÃO PAULO - Turistas brasileiros trocam dinheiro de plástico por papel em viagens

Turistas brasileiros trocam dinheiro de plástico por papel em viagens

por EDUARDO CUCOLO


Os brasileiros que viajam ao exterior trocaram os cartões de crédito e pré-pagos em moeda estrangeira pelo dinheiro em espécie. A compra de papel moeda de outros países cresceu quase 30% entre 2013 e 2014, segundo dados do Banco Central.

No mesmo período, o uso de cartões de crédito em transações no exterior caiu 5%. A compra de moeda estrangeira por meio de cartões pré-pagos, que havia se destacado em 2013, despencou 74%.


 

Em todos os casos, a perda de interesse pelo dinheiro de plástico está relacionada às mudanças tributárias promovidas pelo governo.

Em março de 2011, o IOF sobre gastos no cartão de crédito no exterior subiu para 6,38%. Em dezembro de 2013, essa taxação foi estendida ao pré-pago. A compra de moeda em espécie continua com tributação de 0,38%.

João Medeiros, diretor da Pioneer Corretora de Câmbio, diz que não é raro os brasileiros viajarem hoje com maços de dólar, mesmo diante dos riscos de carregar moeda em espécie. "O pré-pago era um produto fantástico em relação a segurança e eficiência. O governo matou o produto."

No ano passado, foram comprados US$ 9,9 bilhões em espécie. No pré-pago, o valor caiu de US$ 3,3 bilhões para US$ 870 milhões.

O uso do cartão de crédito no exterior, em viagens ou compras pela internet, atingiu no ano passado o menor valor em quatro anos, US$ 11,7 bilhões. Essas despesas já haviam recuado em 2012, quando turistas começaram a migrar para os cartões pré-pagos. Em 2013, o volume praticamente não alterou.

No total, o valor em dólar das transações com moeda estrangeira nessas três modalidades, as mais utilizadas no câmbio turismo, caiu 4% em 2014, segundo o BC.

Glaucy Lima, gestora da área de câmbio turismo da Fair Corretora, afirma que o aumento de tributo mudou o perfil do cliente que procura o produto pré-pago.

"Hoje, são adolescentes indo fazer intercâmbio de um ou dois meses, que não teriam como abrir conta lá fora e levam o cartão para receber dinheiro dos pais."

Mesmo nesses casos, ainda há quem prefira enviar o dinheiro por meio de remessas para serem sacadas fora do país, pagando imposto menor, segundo ela.

"Entre os viajantes, a maioria leva dinheiro no bolso. As pessoas não querem adquirir nem carregar o pré-pago. Ou colocam uns US$ 200 só para levar algum coisa a mais."

Alexandre Fialho, diretor da corretora Cotação, afirma que o valor total das vendas, na soma de pré-pago e espécie, não se alterou em 2014 em relação a 2013, houve apenas migração do primeiro produto para o segundo. Ele espera aumento de 15% na procura por moeda estrangeira em 2015, apesar do sobe e desce no preço do dólar.

Fialho recomenda que as pessoas façam as compras de forma parcelada, levem uma parte do dinheiro no pré-pago por questões de segurança e tomem cuidado ao fazer pagamentos de grande valor no cartão de crédito.

Fonte: Folha de São Paulo 

Banner TOK Investimento

Agillitas

Cotacao

Cartão Rendimento Visa TravelMoney Platinum
Cartões de Viagem Rendimento
Crédito
Você sabia que os Cartões de Viagem Rendimento estão nas mídias sociais?

  • Facebook
  • Twitter
©2008 Banco Rendimento. Todos os direitos reservados.

By Flex Up